Marilza de Almeida Marques, professora que ministrou primeira aula da Funec, é homenageada por sua aposentadoria



Publicado por @funec | Assessoria de Comunicação da Funec - Santa Fé do Sul

Professora Marilza recebe homenagem pela aposentadoria_r1_c1Uma história de amor e dedicação ao ensino. Assim pode ser resumida a trajetória profissional da professora, pedagoga e bióloga Marilza Barbosa de Almeida Marques, que se dedicou à vida acadêmica nos últimos 45 anos. Na última semana, Marilza foi recebida pela diretora geral pedagógica da Funec, Profª Drª Sâmira Ambar Lins e pelo presidente, Sr. Aderval Morreti, que lhe entregaram uma placa em homenagem à sua aposentadoria.

Sua carreira está estritamente ligada à história da instituição. Marilza foi a responsável por ministrar a aula inaugural do primeiro curso oferecido pela Funec, Educação Física, em 1972. “Ainda acadêmica do 3º ano da Faculdade de Lins, em 1969, participei com meu currículo do processo em que solicitava autorização para o funcionamento do curso de Educação Física, convidada pelo professor Carlos Américo Trevisan, junto com um grupo de pessoas que acreditavam nesse investimento. Com o início do curso, ministrei a primeira aula para as turmas de licenciatura breve e plena do curso de Educação Física, no atual Campus I, nas práticas desportivas”, lembrou a docente.

Drª Sâmira externou seu carinho e gratidão à professora. “Nesses anos todos você foi responsável por ensinar centenas de alunos e nós também aprendemos muito. Quero agradecer por tanta dedicação, comprometimento e responsabilidade com que sempre tratou a educação. Com certeza sua ausência será sentida por todos”.

Aderval também expressou seu reconhecimento. “A Marilza é uma grande mestre, que se entregou às causas da educação e da Funec sem medir esforços. Sua devoção ao ensino é admirável e serve de exemplo a todos nós. Seu trabalho ficará marcado para sempre na história da Funec”.
“Foram 45 anos de dedicação a esta instituição. Foram muitas lutas e muitas alegrias ao receber em nossa instituição novos alunos. Tenho muitas histórias para contar. A Funec foi o alicerce da minha vida. Sou o que sou por causa dela. Valeu a pena. Espero que os que ficam se espelhem nos pioneiros”, concluiu Marilza.