Enfermagem: uma profissão em ascensão



Publicado por @funec | Assessoria de Comunicação da Funec - Santa Fé do Sul - 18/10/2018

O Centro Universitário de Santa Fé do Sul – Unifunec, oferece mais de 20 cursos de graduação, entre eles, o de Enfermagem. A profissão, escolhida anualmente por milhares de estudantes, é indispensável na sociedade e está em pleno crescimento. A Organização das Nações Unidas (ONU), estima que até 2020 faltarão mais de nove milhões de enfermeiros no mundo para atender as necessidades de toda a população. Diversos países, como Portugal, Alemanha e Itália, estão recrutando enfermeiros brasileiros para suprir a falta de profissionais capacitados nesses países.

A maioria das pessoas quando pensa em enfermagem, logo imagina um hospital ou uma unidade de saúde pública, mas não é só isso. A enfermagem é dividida em três categorias: Auxiliar de Enfermagem, Técnico de Enfermagem e o Enfermeiro, que alguns reconhecem como Enfermeiro Padrão, termo utilizado para identificar o profissional que cursou a graduação em Enfermagem em cinco anos, enquanto o Auxiliar e o Técnico estudam em média dois anos para sua formação.

“Essa diferença na formação se remete nas atribuições de cada profissional e também na remuneração salarial. Além dos hospitais e unidades de saúde públicas, a enfermagem tem mais de 40 especialidades, ou seja, é uma área muito mais abrangente do que se imagina”, afirmou a coordenadora do curso, Profª Me. Taise Jordão.

Dentre as mais de 40 especialidades, existem áreas administrativas e gerenciais que o profissional pode atuar, de acordo com o perfil de cada um. Diversos profissionais enfermeiros têm tido sucesso como empresário, seja no ramo de homecare, consultorias, clínicas de estética e de vacina, entre outras tantas possibilidades.

“Às vésperas do vestibular, quero convidar os estudantes para que cursem Enfermagem no Unifunec. Temos a maior carga horária de aulas práticas de toda região, o que faz muita diferença na formação profissional, já que a vivência e o contato com os pacientes desde a formação acadêmica faz toda diferença na hora de ingressar no mercado de trabalho”, conclui a coordenadora.